Documento sem título




 
BEATO CHARLES EUGÈNE DE FOCAULD
Este artigo foi visto 1531 vezes.
 
 

"Logo que descobri que existe Deus entendi que não podia mais fazer outra coisa a não ser viver por Ele: minha vocação religiosa começa no exato momento em que despertou a minha fé".

 

Charles Eugène de Foucauld (Irmão Carlos de Jesus-Irmão Universal) nasceu em Estrasburgo, França, em 15 de setembro de 1858. Órfão aos seis anos de idade, ele e sua irmã Marie foram criados por seu avô o coronel Beaudet de Marlet em cujos passos ele seguiu tomando-se por uma carreira militar.

 

Parte de sua vida viveu sem fé.  Por perda da fé ele não levou uma vida fácil e foi bem conhecida de todos e mesmo assim ele mostrou que poderia ser obstinado e constante em situações difíceis. Ele empreendeu uma exploração arriscada em Marrocos (1883-1884). Vendo a forma como os muçulmanos expressaram sua fé, o seu íntimo foi abalado com uma grande interrogação sobre esse mistério e do Criador e ele começou a repetir: “Meu Deus, se você existe, me deixe vir a conhecê-lo”.

 

Em seu retorno à França, boas-vindas que recebeu de sua família profundamente cristã o faz continuar sua busca. Sob a orientação do Padre Henri Huvelin ele redescobriu Deus em outubro 1886. Foi, então, aos 28 anos. “Assim que eu acreditava em Deus, compreendi que eu não poderia fazer outra coisa senão viver só para ele”, disse Charles.

 

Padre Henri Huvelin se tornou o seu pai espiritual, e tenta acalmar o seu entusiasmo.  Ele alerta para uma vocação religiosa muito rapidamente discernido, e pediu-lhe para tomar o seu tempo.   Logo, surgem dificuldades para a fé de Charles: Eu, que tinha alguma dúvida, eu não acreditei em tudo em um dia.  

Esta é uma segunda revelação de Charles de Foucauld, que então quer imitar Cristo. 

 Depois de mais de 18 meses de espera e de obediência ao Padre Henri Huvelin, Charles aprofundou sua vocação religiosa: ele quer entrar em uma ordem que "imitar a vida oculta do trabalhador pobre e humilde de Nazaré" sentimento indigno de ser um padre e pregar.

A peregrinação à Terra Santa revelou sua vocação para seguir Jesus de Nazaré. Lá passou 7 anos como um trapista, primeiro na França e depois em Akbès na Síria. Mais tarde, ele começou a levar uma vida de oração e de adoração, sozinho, perto de um convento de clarissas em Nazaré.

 

Ordenado sacerdote em 09 de junho de 1901, na capela do Seminário Maior da diocese de Viviers, partiu para o Saara, vivendo primeiro em Beni-Abbès e mais tarde em Tamanrasset entre os tuaregues do Hoggar. Ele queria estar entre aqueles que foram, “o mais afastado, o mais abandonado”. “Ele queria que todos os que se aproximassem dele para encontrar nele um irmão”, um “Irmão Universal”. Tinha um grande respeito pela cultura e fé das pessoas com quem ele vivia, o seu desejo era "gritar o Evangelho com a sua vida". Eu gostaria de ser suficientemente bom com as pessoas e dizia: “Se tal é o Mestre, assim deve ser o servo”.

 

No seu eremitério em Tamanrasset vive a fortaleza da fé e a dimensão missionária de Jesus de Nazaré. Sua vida é radical no projeto do Reino de Deus. O cerne da sua espiritualidade é cristocentrica. Jesus de Nazaré é o fundamento para comunhão de todos na face da terra, essa é visão do irmão Charles.

 

Na noite de sexta-feira do dia 01 dezembro de 1916, seu eremitério foi cercado por um bando de 40 saqueadores que resultou em seu assassinato. Irmão Charles ficou sob a guarda de um rapaz de 15 anos. No momento de tumulto o jovem se apavora e encosta o cano do fuzil na cabeça do irmão Charles e de repente dispara. Tudo aconteceu tão rápido como também sua morte.

 

Ele sempre sonhou partilhar a sua vocação com os outros: depois de ter escrito várias regras para a vida religiosa, ele chegou à conclusão de que esta "vida de Nazaré" poderia ser conduzida por todos. Hoje, a "família espiritual do beato Charles de Foucauld" engloba diversas fraternidades e associações de fiéis, comunidades religiosas e dos institutos seculares para pessoas leigas e sacerdotes.

 

Foi beatificado pelo Papa Bento XVI em 13 de Novembro de 2005.

Medite nesse pensamento do beato Charles: “O amor é inseparável da imitação: quem ama quer imitar: é o segredo de minha vida. Apaixonei-me por esse Jesus de Nazaré crucificado, e passo a vida tentando imita-lo”.

 

 


Pe. Inácio José do Vale Da Fraternidade Sacerdotal Charles de Foucauld E-mail: pe.inacio.jose@

 
 

ATENÇÃO! - Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão deste que sempre sejam citados a fonte www.padresanto.com.br

 


     VEJA MAIS:


  TRECHOS DA VIDA DO SANTO CURA D'ARS (719 Hits)
  PADRE MARTIN MARTINEZ PASCUAL (3409 Hits)
  PADRE PEDRO ANTONIO BACH (1816 Hits)
  BEATO CHARLES EUGÈNE DE FOCAULD (1531 Hits)
  FREI BRUNO LINDEN (3342 Hits)
  FREI ROGÉRIO NEUHAUS (3427 Hits)
  PADRES CAVANIS (6278 Hits)
  PADRE PIO DE PIETRELCINA (2707 Hits)
  SÃO JOÃO MARIA VIANNEY - O SANTO CURA D'ARS (4394 Hits)


 
Visitas Únicas Hoje: 7 - Total Visitas Únicas: 243441 - Usuários online: 9
2009 - www.padresanto.com.br - Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por Espacojames