Documento sem título




 
A COMUNHÃO DOS SANTOS
Este artigo foi visto 177 vezes.
 

 

A Comunhão dos Santos

 

O Senhor permitiu que passassem rapidamente por minha mente, imagens de campanhas políticas. Cenários iluminados e grande número de pessoas, gritando inflamadas. Depois em uma partida de futebol, em um show de algum artista ou cantor da moda, em uma concentração política, rendendo tributo a seres humanos, de barro. E o Rei dos Reis, o Senhor de toda a humanidade, sentado em um Trono belíssimo, iluminado por Sua própria Luz e abandonado, esperando por nós. Só uma minoria de pessoas se detinha ali diante d’Ele.

Ao observá-los, dei-me conta de que eles não podiam vê-Lo como eu O estava contemplando, rodeado de todos os belos e radiantes seres que habitam o Céu, mas viam Seu trono terreno, isto é, o lugar onde Ele estava: em uma imaculada Hóstia, dentro de una bela Custódia.

Entre as pessoas que entravam e se ajoelhavam diante de Jesus, havia respeito, desejos de adorá-Lo, alguns mostravam em seu semblante muita dor, tristeza, outros tantos medo, temor e uns poucos, muitíssimo amor.

Quando entrava uma pessoa, Jesus a olhava, estendia-lhe a mão, a pessoa se ajoelhava ou se sentava e logo desapareciam as outras pessoas. Era como se só estivessem ali Jesus e essa pessoa. Então Ele a abraçava e beijava a face da pessoa, mas tudo com gestos de imensa ternura, como um enamorado recebe o ser amado, ou como o faz um pai, feliz, com a alegria da acolhida.

A pessoa começava a falar-Lhe e Jesus primeiro a ouvia atentamente, mas logo Ele sussurrava algumas palavras ao ouvido da pessoa e finalmente, levantando os olhos, quase fechando-os depois, elevava os braços para o Céu.

Finalmente abençoava a pessoa e ficava contemplando-a com olhar amoroso, como se fosse o único ser no mundo.

Quanta Luz saía de Jesus e iluminava todo o lugar! Quanta reverência e respeito, adoração e amor ao Seu redor, por parte de muitíssimos Santos, de Anjos e uma quantidade enorme de pessoas que pareciam também ter luz própria, pela felicidade que refletiam em seus rostos! Esta imagem, assim como a da Mãe Santíssima e de São José, aparecia e desaparecia de meus olhos de vez em quando.

O Senhor estava me ensinando, que todos precisamos que nossos olhos se abram para poder contemplar melhor as coisas de Deus, porque nossos olhos com frequência ou se fecham ou se turvam para observar as coisas do Espírito.

O Senhor me disse: _“Lembra-te que no Salmo 24, 4-6 se adverte que para ver as coisas de Deus é preciso ter o coração limpo; isto é, limpeza de olhos, limpeza de coração, retidão de consciência e pureza de intenção, para poder chegar um dia ao conhecimento de Meus segredos Divinos...

Aprendei de outras pessoas que vos antecederam e que hoje são Santos! Para eles, o melhor lugar de descanso eram Minhas mãos, o melhor remédio e o mais suave alívio era recorrer ao Meu Corpo Sacramentado, buscando Minha companhia, a conversação Comigo.

Por isso passavam momentos prolongados em oração e desse tempo de adoração conseguiam um renovado vigor e maiores forças para enfrentar a vida com todos os seus sofrimentos, dores e humilhações, próprios de sua condição, e que depois serviriam para sua coroa de glória.

É primordial que se ensine aos homens que não basta confessar-se e vir receber-Me, voltar a cometer os mesmos pecados e depois novamente a Confissão… Deveis vos unir a Mim no pensamento, no sentimento, na vontade. Isto é, com o corpo e com a alma... Com o coração.

É assim que vossa vida humana consegue participar de Minha Vida Divina, de modo que seja Eu mesmo quem conduza vossa existência pela viagem que vos conduz para às Delícias Eternas.

Não te esqueças que, quanto maior tua entrega à Minha Vontade, maiores graças receberás no transcurso de tua visita à Minha Presença Eucarística.”

De quanta privação sofrem as almas permanecendo longe dos lugares onde se adora ao Santíssimo Sacramento! Quanta ignorância e quanta cegueira espiritual que não nos permite crer nesta verdade absoluta...!

O que estamos fazendo, humanidade, que permitimos e até fomentamos os espetáculos imorais, a degradação de nossos jovens e a destruição do planeta, e não corremos até o Deus Vivo para suplicar Sua Misericórdia?

Essa noite quase não pude dormir, sentia-me culpada por estar ali na minha cama, tão longe e no entanto tão perto de Jesus. Longe porque já não estava na contemplação daquilo que me havia permitido viver, e perto porque parecia que minha pulsação, as batidas de meu próprio coração não eram minhas, mas d’Ele, isto é, sentia o Coração de Jesus sobre o meu coração.

Então prometi a Jesus que desde aquele instante, cada vez que me despertasse à noite, faria um louvor a Jesus Sacramentado, para saudá-Lo. E graças a Deus desperto várias vezes, assim posso dizer alguma coisa como: _“No Céu, na terra e em todo lugar, seja para sempre bendito e louvado o Divino Coração de Jesus Sacramentado ou _”Benditos sejam Jesus Cristo no Santíssimo Sacramento do Altar, e a Virgem concebida sem pecado original”.

Em outras ocasiões me coloco, mental e espiritualmente diante de um Sacrário, em qualquer Templo que tenha conhecido, e ali, da minha cama, faço oração como se estivesse prostrada diante de Sua Divina Presença e Lhe peço que me permita fazer-Lhe companhia com o pensamento e com o coração.

Quantas pessoas doentes a quem tenho ensinado este tipo de companhia e adoração, dali onde estão prostrados, dizem ter sentido a amante Presença de Jesus junto a seu leito! É que o Amor de Deus não se deixa vencer em generosa retribuição...!

Quase ao amanhecer, Jesus me permitiu fazer-me presente em espírito em uma Igreja de minha cidade, que tem um belo Altar com um imponente Sacrário, e ali me prostrei para adorá-Lo. Em certo momento escutei:

_“Quando Me contemplais na Eucaristia, vossos olhos já Me tocam, com um só olhar, cheios de amor, de fé e entrais imediatamente em Comunhão Comigo.

Mas se vos alimentais de Meu Corpo e de Meu Sangue, viveis da mesma vida de Deus, habitais uma antecipação da vida no Céu...! Porque Me olhais com os olhos da fé, enquanto aguardais para Me verdes, face a face, na claridade da Glória.

Aquele que em verdade se alimenta de Meu Corpo com uma fé viva, e é animado pela caridade aos seus irmãos, gozará da vida eterna, pois terá chegado ao final de sua existência renunciando a viver de outra maneira na terra.

Que maior grau de perfeição alcançará quem renuncie a todas as coisas mundanas para ter tudo! Isto é, quem renunciar a tudo o que foi criado para ter a Mim, que sou incriado.

Objeto de Minhas delícias é quem está disposto a perder tudo para ganhar a Deus; a morrer para poder viver depois Com e Em tudo.

Eu não Me canso de convidar Meus amados à fonte, para se refrescarem na imensa sede que vivem, sede do amor que Eu coloquei em vós para vosso próprio bem.

Acaso credes que estou nos Tabernáculos ou nas Custódias, assim quieto, sem agir, sem vos dar a conhecer que Sou a Vida perene e santa? Estou aqui para ser desejado por vós, para que quando vierdes a receber Meu Corpo e Meu Sangue como alimento na Comunhão, vós Me ouçais dizendo: _“Levai-Me em vosso coração, porque é calor o que busco e não estou conforme se Sou esquecido por vós”.

Permaneço na terra para ser tomado facilmente por todos aqueles que não Me esquecem, que sabem quais são Minhas alegrias e Me proporcionam recebendo-Me felizes, humildes e ardentes de amor santo.

Diz aos Meus amados que venham a Quem os ama verdadeiramente, que venham alimentar-se, não somente com Meu Corpo e Sangue, mas alimentar-se de Minha Presença, porque a fome que têm é um Dom Meu e é fome de Mim, embora seja coberta e disfarçada por tantos apetites desordenados.

Eu os espero aqui para obsequiar, junto com a Mãe que lhes dei, e com todos os seus irmãos do Céu, à doceTrindade, que Eu mesmo trago, a quem não Me rejeita, mas Me busca e tão facilmente pode encontrar-Me, oculto e vivo, ardente e como que esperançoso de vê-los junto a Mim, para lhes dar muitos raios de luz e de fogo. Para estreitá-los a Mim e participar-lhes doses e doses de Minha própria Santidade.

É no Sacrário e na Custódia santa que os espero, para fazer-lhes participar da celebração da Glória de Meu Pai, para que recebam as chamas do Santo Espírito; para falar com vozes amorosas do Céu que os espera, do Amor que os espera, da felicidade que lhes prometo e lhes dou.”

 

Texto extraído do Livro: “Em adoração” de Catalina Rivas



 
 

ATENÇÃO! - Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão deste que sempre sejam citados a fonte www.padresanto.com.br

 


     VEJA MAIS:


  BEATO INÁCIO DE AZEVEDO E A VIRGEM MARIA (28 Hits)
  A VIDA LENDÁRIA DE SÃO DIMAS (40 Hits)
  DEUS RECOMPENSA SACRIFÍCIOS (86 Hits)
  AS OFENSAS A NOSSO REDENTOR (228 Hits)
  A COMUNHÃO DOS SANTOS (177 Hits)
  POR QUEM PEDIR (192 Hits)
  MARTELO DOS HEREGES (140 Hits)
  OS MISTÉRIOS DO REINO (155 Hits)
  FREI DANIELE E AS TRÊS HORAS DE PURGATÓRIO (334 Hits)
  O TRONO DE DEUS (290 Hits)


 
Visitas Únicas Hoje: 55 - Total Visitas Únicas: 243650 - Usuários online: 8
2009 - www.padresanto.com.br - Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por Espacojames