Documento sem título




 
O PECADO DA MURMURAÇÃO E A MANSIDÃO
Este artigo foi visto 439 vezes.
 

 

O pecado da murmuração

 

O pecado da murmuração não é somente quando se tira a honra do próximo, caluniando-o ou exagerando uma falta, mas também quando se publica uma falta cometida ocultamente, isto é, revelando um segredo grave. No entanto, não é pecado manifestar os delitos do próximo quando se o faz pelo seu bem ou o bem de outro.

Com que motivo repetis o que tendes ouvido, para fazer inimizades e fazer nascer ódios que serão fontes de pecados?

Toda murmuração deve morrer em teu peito, fechada em um lugar do qual não possa sair.

Outra falta terrível é o espírito de contradição, pois sem necessidade e somente movido por seu mau espírito, uma pessoa pode contradizer o que os outros dizem, faltando assim com a caridade. É preferível não teimar sobre coisas que não interessam. Não vos obstineis em defendê-las. Neste tipo de discussões, é melhor ceder para conservar a paz; é muito melhor ter paz que razão.

Cuidai sempre que vossas palavras sejam ditadas pela caridade, para que respeitem assim no que for possível os defeitos de vosso irmão.

 

Mansidão

 

Também a caridade exige que sejais mansos com vossos próximos, especialmente com vossos inimigos. Quando alguém está irritado e te importuna com palavras, responde-lhe com doçura e o verás aplacado no mesmo instante. Ao contrário, se te ofenderes e responderes com dureza, aumentarás sua fúria e, crescendo tua raiva, colocar-te-ás em perigo de perder a alma. Quando explodires, a caridade exige que te humilhes para essa pessoa a quem ofendeste e lhe peças perdão.

E finalmente, a caridade também te chama a corrigir aquele que peca e se desvia do Meu Caminho. Por acaso é crueldade ver um cego que caminha até um precipício e não advertir-lhe do perigo que lhe espera? Já comentamos isto, faz uma revisão.

Também há quem diga que ama todos os homens, mas não se importa ao mínimo para ajudá-lo em seus apuros; a estes, digo que a esmola livra o homem da morte e é o que alcança a Misericórdia e a Vida Eterna. De modo que com a mesma medida que medirdes, sereis medidos, porque Eu recebo todos os atos de caridade feitos para com vossos irmãos, como se fizésseis por Mim. Então, quem tem bens neste mundo e vê seu irmão necessitado, fecha as entranhas do Céu porque nele não reside o amor de Deus.

Quando não puderes fazer o bem ao inimigo que te persegue e calunia, não somente te mando que perdoes, mas também que ores por ele, porque Eu te dei o exemplo na Cruz.

 

(Jesus a Catalina Rivas)

 

Treho do Livro " A Porta do Céu " de Catalina Rivas

 

 



 
 

ATENÇÃO! - Todos os artigos disponíveis neste sítio são de livre cópia e difusão deste que sempre sejam citados a fonte www.padresanto.com.br

 


     VEJA MAIS:


  AS OFENSAS NOS PURIFICAM (98 Hits)
  A ALMA RECOLHIDA E AS VIRTUDES (111 Hits)
  O HOMEM MAU ODEIA A SI MESMO (58 Hits)
  PARA SER SANTO É PRECISO DESEJÁ-LO (98 Hits)
  AS TENTAÇÕES DA CARNE (258 Hits)
  ACEITAR A CRUZ (197 Hits)
  A IMPORTÂNCIA DO FIM ÚLTIMO (277 Hits)
  O PEQUENO NÚMERO DAQUELES QUE SÃO SALVOS (440 Hits)
  A ALMA QUE SE CONHECE EVITA OS ENGANOS DO DEMONIO (519 Hits)
  DEIXAI VIR A MIM OS PEQUENINOS (380 Hits)


 
Visitas Únicas Hoje: 8 - Total Visitas Únicas: 243442 - Usuários online: 8
2009 - www.padresanto.com.br - Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por Espacojames